23 horas atrás:

Estava andando de ônibus, quando uma cigana agarrou minha mão e começou a ler. Ela falava clichês do tipo “você é uma pessoa tranqüila, mas quando pisam no seu calo, ai ai ai”. Eu só estava suportando porque toda a minha energia estava concentrada na minha outra mão, que estava segurando no ferro do ônibus para eu não cair. Enfim, ela me pediu dinheiro e, assim que eu neguei, a fofa me rogou pragas. “Ok, queridinha, terminou? Tenho que descer” – eu disse. O que eu pensei que seria uma maldição em longo prazo, foi mais rápida do que eu pensava…

Só uma coisa poderia salvar meu dia: Pedro. Um ruivo que conheci no hornet. Por ele fiz algo que sempre julguei ser algo de fudido: entrei no motel a pé.

12 horas atrás:

Após ter enfrentado uma das minha barreiras pessoais, começamos a nos pegar. Estava incrível, fazia tempo que eu não pegava alguém com aquela pegada meio catuaba selvagem! Estávamos a quase 2 horas só fazendo preliminares quando finalmente ele colocou a camisinha.
Tudo incrível, gozei pela primeira vez em uns 20 minutos. Algumas posições depois, gozei novamente. Mais meia hora, quando gozei pela terceira vez, foi que me toquei que ele ainda não havia gozado. Eu já estava sem proteína no meu corpo quando resolvi concentrar todo meu cosmo numa punheta caprichada para ele. Só criei tendinite nos dois braços. Quando já não estava mais aguentando, parti para o sexo oral! Não aguentava mais chupar aquele pau, eu não sabia mais o que fazer. Já estava começando a me irritar. Ele pediu para eu gemer no ouvido dele, gemi em todas as notas e oitavas, mordi a orelha, procurei pelos ~pontos mais sensíveis~, lambi todas as partes do corpo dele e nada. Cada espasmo dele era uma esperança para mim.

8 horas atrás: 
Eu estava esgotado, inconformado e já sem esperanças quando fui surpreendido por uma ejaculação traiçoeira no meu ouvido!

Embora eu quisesse arrancar o olho dele igual em Kill Bill, me senti mais feliz e realizado do que na minha colação de grau por tê-lo feito gozar. Para mim, foi como ver petróleo.

Resumindo: ele quis transar de novo no banheiro, mas fui mais esperto e fiz uma aposta: quem gozasse primeiro escolheria o que fazer com o outro. Primeira vez que ganhei uma aposta na vida!

O que aprendi: se o cara demora para gozar e você está cansado, não adianta apressá-lo. Aproveite para colocar mentalmente em ordem sua vida. Repense sobre espiritualidade e planeje roteiros de viagens.

Neste momento:

Não dormi direito e estou cansado, mas realizado! Se fudeu, cigana!

image

*Pensei mas não falei: GOZA LOGO QUE NÃO TÔ NESSE MUNDO A PASSEIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *