Esta é a história que me fez querer virar um gay versátil.

Introdução:

“Um belo dia acordei com vontade de dar o cu e nunca mais passou.” Não foi assim que descobri que sou gay. Foi me apaixonando pelo Claudio Heinrich, o Dado de Malhação, que estampava o caderno da minha irmã.

Capítulo 1

Não sei de onde veio, mas a decisão de iniciar a vida sexual como gay passivo, foi uma merda! A CONCORRÊNCIA entre passivos é enorme. Para cada 1 ativo existem 10 passivos. Mesmo assim, não estava disposto a deixar de ser bottom, mal sabia eu o que destino me reservara.

O perfil do Paulo no Grindr era versátil fora do meio. Para mim: ativo. Tudo bem que eu poderia estar errado, mas de qualquer forma eu precisava estar na casa dele às 8h da manhã. Ao acordar, fui atacado por uma paranóia de que estava com a bunda muito peluda.

Na pressa/tesão acumulado resolvi apelar para a primeira coisa que vi – Veet Creme Depilatório Minha Primeira Vez Para Peles Sensíveis Com Aloe Vera. Não, isso não é uma publi, porque aquela porra queimou todo meu rabo e não tirou um pelo sequer! Seres humanos são condicionados a tomar decisões estúpidas, principalmente quando estão com tesão – visto que mesmo com o cu na carne viva, fui para a casa do Paulo.

Capítulo 2

Chegando lá, Paulo tinha uma pegada incrível e começamos a nos pegar no sofá mesmo. Estava tudo ótimo até eu perceber que ele não tocava na minha bunda. COMO ASSIM? Só para tirar a dúvida, passei a mão na bunda dele e me dei conta de que estava mais depilada que a minha… Sim, ele era passivo.

Eu tive que ser ativo pela primeira vez na vida! Senti uma pressão inexplicável. O que eu deveria fazer? Como não machucar? Para falar a verdade, nunca tinha ~vestido~ uma camisinha. Enfim, quando vi aquele cuzão me encarando, me concentrei (muito) e fui. Como sempre fui passivo, tive a empatia compassiva e me coloquei no lugar dele. Não tem segredo. É basicamente ler as reações e não focar só em você e tem ter somente o seu prazer. Uma dica valiosa: deixe o passivo controlar no início.

 

Resumo: Foi incrível! Me tornei sou versátil/ativo graças ao Paulo. Dar o cu é bom mas exige uma dEDIcação.

Considerações finais: Me recuso a fazer xuca! Além de fazer um pouco mal para a flora intestinal, uma vez fiz e fiquei vazando no metrô. Um pesadelo!

Referência bibliográficas: Paulo, muda seu perfil para: passivíssimo, porra!

Me siga no Instagram: @controle_y

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *