naomejulga

Quando estamos no estado dois-dias-pós-termino-de-relacionamento temos duas opções: viver e respeitar todo o luto do fim da relação ou aproveitar para pegar aquele carinha que você manteve de backup durante todo o namoro.
Com base na segunda opção, decidi sair com o Vini. O fato dele ser alto, peludo e de sobrenome árabe manteve minha chama-da-curiosidade-de-saber-como-é-a-pegada acesa durante todo meu namoro – admito.

Ele passou no meu trabalho e fomos para a casa dele depois do expediente. Chegando lá, a bicha correu para verificar uma gravação programada na TV. “Você promete não me julgar? Hihi”, ele disse. “Claro que não. Prometo!”, respondi torcendo para que fosse algo ridículo em comum, tipo Se Virar Tem que Beijar, A Fazenda, etc…

… Ele estava gravando a novela Fatmagül, a força do amor.

Me senti como quando chamei um boy para o meu quarto de hotel e cismei que ele havia me roubado trinta reais – desconfiado e assustado.
Além de pensar no quão ridículo era aquilo, não saía da minha cabeça que ele certamente era viúvo de Mil e uma noites, aquela outra novela com nome de Orixás – Sherazade, Onur, Oxalá.

Enquanto eu absorvia todo o choque, ele começou a me preparar um arroz à piamontese. Enquanto ele cozinhava, me contava todo o enredo de Fatmagül. Parecia a Claudete Troiano fazendo a receita do dia no programa Mulheres. Embora eu tivesse deixado claro que não era fã de risoto, ele insistiu.

Ele colocou o episódio de Fatmagül e fomos comer. Juro que aquilo era uma das piores coisas que eu já havia comido. “Gostou?”, ele perguntou. Antes que me forçasse a engolir mais uma colher, já o beijei a fim de transar logo e pular a parte do jantarzinho.
A pegada dele era ótima! Mesmo com a dublagem de Fatmagül (todo o elenco de Dragon Ball Z) fiquei muito excitado. Após horas de preliminares e gemidos, tirei a cueca dele e, para minha surpresa, o pau estava mole… O QUE!?!? “Será que ele tá assistindo essa porra dessa novela enquanto transa comigo?”, pensei. Mas ele também parecia excitado!

Comecei a provocá-lo mais – e nada do pau endurecer. Eu estava mais humilhado que a Fatmagül. Então ele me disse: “me come”. Enfim, transamos, gozei e ele também – SEM O PAU TER FICADO SEQUER DURO?

Não sei o que é pior, o que o Vural fez com a Fatmagül ou a tortura psicológica que Vini fez comigo…

 

Vale ressaltar: Fatmagül é melhor que Jessica Jones…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *