“Vamos nos filmar transando?”

Controle Y Ilustração Gay Filmar transando

“Não sou fã de pornô”, foi o que eu disse para o Flávio quando ele sugeriu que filmássemos uma transa nossa.

Topei com a condição de que gravaríamos no meu celular e depois apagaríamos. Ok.

Luz, câmera, ação!

Começamos meio tímidos, mas logo nos empolgamos. Minutos depois estávamos gemendo muito alto e inventando posições – que claro, favorecessem o meu lado mais fotogênico.

Numa dessas posições iventivas tive uma mini câimbra, mas disfarcei perfeitamente! Flávio quase arrancou um pedaço da minha bunda com uma mordida, mas eu continuava com a cara de pleno. “Eu sou um porn star” – pensei!

Assim que acabamos, fomos logo assistir. Foi uma das situações mais horríveis em que já me vi na vida!!! É ai que você entende a importância da edição e da maquiagem nas genitais. O ângulo da câmera me deixou parecendo a Emanuelle depois da enchente, enquanto o Flávio era a Gretchen suada.

Deletei aquele gatilho em forma de vídeo e hoje em dia – fico noiado quando vou na casa de um cara e o notebook está apontado para mim. O medo de alguém me filmar transando é real!

Já o Flavio namora um cara e os dois tem um OnlyFans de casal. Não é que a bunda cabeluda dele faz sucesso?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *