Existem milhões de perfis no Grindr. Uns ~não respondo sem foto de rosto~, outros ~não curto ~afeminados~, ~não curto fast-foda~ e etc.

O perfil do Gabriel era “sexo é bom, mas quando rola sentimento. Afinal, consigo gozar sozinho.” Obviamente seria um problema, mas ele era lindo demais para que eu pensasse duas vezes. Ele me buscou de carro e saímos –  anos que não saia com alguém de carro, me senti ótimo.

Sabe aqueles primeiros três minutos de silencio-por-falta-de-assunto-que-ficam-entre-duas-pessoas-que-marcaram-pela-internet-e-acabaram-de-se-conhecer-pessoalmente? Aquele em que refletimos se nos fodemos ou não. Então, nesses primeiros minutos fiquei sabendo que a mãe do Gabriel havia morrido há 2 meses.
PS:. Quero aproveitar esse espaço na mídia para dizer que não sei consolar ninguém.

Ao chegarmos no Tubaína bar, fiquei sabendo que seu padrasto está com depressão, sua avó com alzheimer e sua cachorra com suspeita de cinomose. Mas só quando ele me disse que tinha tendência ao câncer que comecei a lacrimejar. Ok, Ele tinha um pique Sônia Abrão que emociona.
“Mas chega de falar de desgraça, né? rsrs Você vai achar que tenho depressão! Até tenho, mas meus remédios estão me ajudando muito. Me dão um pouco de gastrite mas dos males o menor, né?“
– Siiim, Gabriel! – concordei enxugando as lágrimas.

 

*Pensei mas não falei: FORÇA! CADÊ AQUELE GUERREIRO QUE ACABEI DE CONHECER????

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *