Sérgio foi o primeiro cara com tanquinho que peguei na vida (o que só é bonito de ver, mas não tem a mínima graça de passar a mão – parece um monte de joelhos).

Eu estava bem bêbado, me pegando com o Sérgio na parede quando, de repente, como um lobo das neves, ele enfiou a mão na minha cueca num movimento furtivo e me fez um ~pula pirata~.
A sensação foi a mistura de um susto muito grande, com a angústia de ser o com menos experiência numa dinâmica em grupo. Definitivamente, eu não estava preparado!

Na hora, fiz uma cara feia e tirei a mão dele com verocidade. Nesse mesmo momento, me dei conta de que o pau dele estava metade pra fora das calças.

Aquela coisa enorme e pulsando me encarou de tal maneira que cheguei a titubear. Enquanto eu estava digerindo o pula-pirata e antes mesmo que eu absorvesse toda aquela situação, o Sérgio sussurrou no meu ouvido “vontade louca de chupar o seu cu”.

Longe de mim ser puritano, coisa e tal. Acontece que não confio em quem sai por aí chupando o cu dos outros na balada. E quem me garante que ele não chupou o cu de outro e estava ali me beijando. Ew!

Vale ressaltar: Sou uma pessoa que curte um papo baixo, mas vamos usar o BOM SENSO galera, não vá enfiando o dedo no cu da galera na balada. Milhares de mãos passam nas comandas, sabe?!

Pula-pirata:. O reflexo que temos quando alguém nos enfia o dedo no cu muito rápido!

* Pensei mas não disse: “ME RESPEITA, SEU IMUNDO!”

1 thought on “Sergio, o safadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *