Controle Y



Minha primeira vez

Minha primeira vez foi estranha…

Controle Y Primeira Vez

Não só pelo fato do Diego – um cara mais velho que morava do lado da minha faculdade e que conheci no ManHunt – ter sido um escroto, ou porque doeu muito e não senti prazer algum. Teve mais uma coisinha.

Assim que perdi a virgindade, corri para não perder minha carona. Em vão. Minha amiga – com quem eu sempre voltava da facul – não esperou eu “sair da aula”. Tive que apelar para o meu plano B: implorar para o Sr. Inaldo, um perueiro, me deixar em casa por 20 reais.

Coloquei meus fones e sentei na janela da Van para refletir sobre o que tinha acontecido. Estava absorvendo todos aqueles sentimentos, quando uma mulher na Van grita: “que cheiro de sexo!”

Entre as 12 pessoas ali, somente uma deu atenção: eu, que havia acabado de transar e não tinha tomado banho!!! Deveras estava cheirando a coito. “Ninguém tá sentido???”, insistiu ela sem resposta.

Enquanto eu tentava me concentrar no “será que transei bem?”, a maldita continuou. “Dá até pra sentir o gosto de camisinha”, “que odor de lubrificante”. Eu estava desesperado e minha casa não chegava nunca.

Felizmente ela desceu! Mas não sem antes olhar para mim e dizer em voz alta: “e é cheiro de sexo com o c*!”

Não sei o que foi pior:

Me apaixonar pelo Diego e descobrir que era noivo de uma menina, ou a sommelier de sexo me expondo.

Contei essa história no Podcast: Nostalgia Gay

Me siga no Instagram: @controle_y