Controle Y



Luiz e o flerte no hospital

Jamais achei que iria paquerar num hospital.

illustration Controle Y Gay Men

Quando fui ao hospital, estava cheio de catarro e pus na garganta. Pensei que iria morrer, não que conheceria o Luiz. Até porque só vou ao médico quando sinto a morte se aproximar e não pra paquerar.

É o universo dizendo que devo estar sempre ‘preparado’, talvez? Depois de trocarmos olhares quando ele chamava pacientes, demos match num aplicativo. Não é sempre que cruzamos com um médico que frequenta ocupações, bonito e engraçado, né?

Já no date, descobri que ele estava em São Paulo há menos de um ano e tinha quatro cachorros que pegou na rua. Expectativas pós-date foram criadas. Já o imaginei no Natal com minha família.

Três meses depois, apesar dos horários bizarros, nos víamos mais de uma vez por semana, conhecemos os amigos e porteiros um do outro – este último, para mim, o maior nível de intimidade.

Um dia, saindo do cinema, fomos para a praia(!!!). Ele realizou o meu sonho do bate-volta na praia repentino. Estávamos praticamente namorando quando fui plugar meu celular no carro e vi uma aliança com nome dele, de uma tal de Lilian e 04/09/2017 gravado.

Sim, é exatamente isso que você está pensando e um pouco mais. Ele era noivo e iria casar em quatro meses, caro leitor!!! Eu paralisei, e ele estava voltando pro carro.

CONTINUA…

Instagram: @controle_y